Renan Calheiros defende limite máximo em doações para campanhas eleitorais

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), defendeu nesta terça-feira (24) a adoção de um teto máximo em doações de pessoas físicas e jurídicas para campanhas eleitorais. O senador considera também que o recomendável seria um teto para despesa de campanha. Ao abrir a sessão temática no Plenário sobre reforma política, Calheiros lembrou que a Casa conta com dez proposições relativas a mudanças no sistema político prontas para serem votadas no plenário. "Elas dizem respeito ao modelo de financiamento, à proibição de coligações proporcionais, à obrigatoriedade do voto, à reeleição e a desincompatibilizações, entre outros temas", afirmou o senador, que pretende "pautá-las o mais rápido possível". Calheiros defendeu ainda mudança na forma como os deputados são eleitos. Para ele, o sistema proporcional causa "distorção gravíssima e frauda a vontade popular", ao permitir que, por exemplo, candidatos com 275 votos sejam eleitos. A proposta do senador é que os parlamentares sejam eleitos pelo voto majoritário, de modo que as cadeiras passariam a ser daqueles mais votados individualmente. "O voto transferível é uma deformação que estimula as legendas de aluguel", conclui. Nesse contexto, para Calheiros só deveriam ter acesso a tempo de rádio e TV, bem como a recursos do Fundo Partidário, os partidos que obtivessem um percentual mínimo do total de votos válidos no país. Esta é a segunda sessão que o Senado Federal destina para tratar da reforma política.
(Fonte Agencia Senado)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BARRA DO ROCHA: HOMEM É ASSASSINADO À GOLPES DE FACÃO EM FAZENDA

'Um dos maiores da história', diz Petkovic sobre Júlio César

Vinícius faz golaço em empate do Real B, mas é expulso por simulação