Ban Ki-moon condena ataques de extremistas contra as mulheres

No Dia Internacional da Mulher, celebrado neste domingo, 8 de março, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu uma resposta mundial "contra extremistas violentos" que atacam mulheres e meninas. Em sua mensagem oficial sobre a data, Ban Ki-moon citou que "corpos de mulheres foram transformados em campos de batalha" por combatentes que têm, muitas vezes, estratégias baseadas na religião ou etnia. Segundo ele, isso acontece em países como a Nigéria, a Somália, a Síria e o Iraque. O secretário-geral da ONU lamentou o fato de mulheres serem atacadas ao tentar exercer o seu direito à educação ou à saúde; de serem violadas e transformadas em escravas sexuais. Por isso, Ban Ki-moon pediu uma posição global clara contra essas violações dos direitos das mulheres. Acrescentou que a comunidade internacional precisa oferecer ajuda humanitária, serviços psicossociais e condenar os responsáveis por essas violações. Para que a nova agenda global de desenvolvimento seja realmente transformadora, Ban Ki-moon defendeu prioridade à igualdade de gênero e autonomia feminina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BARRA DO ROCHA: HOMEM É ASSASSINADO À GOLPES DE FACÃO EM FAZENDA

'Um dos maiores da história', diz Petkovic sobre Júlio César

Vinícius faz golaço em empate do Real B, mas é expulso por simulação