Guto Ferreira aponta dificuldade da partida contra o Náutico e elogia defesa

                                                       Foto: Reprodução / Twitter
O técnico Guto Ferreira, do Bahia, analisou que a partida contra o Náutico, que terminou empatada em 0 a 0 na tarde deste sábado (10), foi muito complicada. Na visão das situações do jogo, o comandante tricolor destacou o fato do time adversário estar motivado pela chegada do técnico Givanildo Oliveira e fez elogios ao setor defensivo, que evitou lances de perigo da equipe alvirrubra quando o Esquadrão esteve com um a menos em virtude da expulsão do lateral Moisés.
 
"Acho que o Bahia fez uma partida extremamente difícil. O Náutico se motivou e voltou a ser uma equipe que no primeiro turno ganhou sete, empatou uma e só perdeu uma aqui [Na Arena Pernambuco]. Viemos jogar aqui com uma mudança de treinador, um treinador tarimbado, da casa, que conhece tudo. E eles têm um bom plantel, bem trabalhado, jogadores extremamente rápidos pelos lados do campo. O Bergson jogando na frente com muita mobilidade e a nossa zaga se portou bem. O Muriel fez uma partida fantástica. 
 
Com o resultado de empate, o Bahia se mantém na sétima posição do certame, com 36 pontos conquistados. Para Guto, o ponto somado em Pernambuco foi importante e o objetivo é vencer a partida contra o Paysandu, na próxima terça-feira (13), na sequência da Segunda Divisão.
 
"Tivemos mais finalizações que eles no primeiro tempo. Eles meteram uma bola na trave, mas também tivemos uma boa chance. Um jogo extremamente parelho. A saída do Moisés nos impediu de dar uma estocada final, mas ainda assim eles não conseguiram fazer o que eles buscavam e nos contra-ataque ficamos próximos de fazer algo melhor. Na somatória final, um ponto que está dentro da perspectiva. Um campeonato disputado como esse é importante somar. Não deu para ganhar, soma. Já são seis partidas sem perder e vamos buscar o triunfo contra o Paysandu".
 
Sobre o fato de mais uma vez ter um desfalque em virtude de suspensão, Guto preferiu não lamentar e argumentou que os contratempos precisam estar no planejamento de um clube de futebol.
 
"Isso tem que estar no planejamento. Se não tivesse contusão, cartões e cansaço, você teria um plantel no máximo de 22 jogadores, mas não é a realidade. Que bom que estamos conseguindo colocar jogadores que mantenham uma equipe competitiva. Esperamos que na partida de Belém do Pará o João Paulo possa estar bem", indicou.
 
Dono de uma boa campanha no segundo turno da competição nacional, o Bahia está há seis partidas sem perder.
(Fonte: BN /Esportes)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BARRA DO ROCHA: HOMEM É ASSASSINADO À GOLPES DE FACÃO EM FAZENDA

'Um dos maiores da história', diz Petkovic sobre Júlio César

Vinícius faz golaço em empate do Real B, mas é expulso por simulação