Galvão Bueno critica mudança de estatuto da CBF: 'Não me parece muito correto'


Seguem as polêmicas por conta do novo estatuto da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Após as federações e clubes do interior baiano defenderem o aumento de poder das entidades estaduais em detrimento dos clubes em eleições nacionais (leia aqui e aquio narrador da TV Globo, Galvão Bueno se posicionou sobre o caso.

Ele criticou criticou a alteração na regra e fez uma referência à eliminação brasileira na última Copa do Mundo, frente à Alemanha. “Criaram uma desigualdade que não me parece muito correta. É um momento em que a autoestima que foi perdida nos 10 a 1 - sempre digo que é o 7 a 1 para Alemanha e o 3 a 0 para Holanda - começa a voltar. A torcida se empolga com a Seleção, está feliz com a Seleção, com esse trabalho, e a gente escuta que a CBF pondera que assim fica mais democrático”, disparou, durante o programa Bem, Amigos, do SporTV.

Galvão também declarou não entender o motivo alegado pelas federações dos estados para defender a mudança no estatuto. “Não consigo entender. [Alegam] Que as federações representam centenas de clubes menores, então têm que ter um peso maior. Mas não é o clube que faz a paixão do esporte? Não são os grandes clubes que criam a paixão pelo esporte, que trazem os ídolos? Eu acho que transparência é algo importante nesse momento. O país está precisando de mais transparência em todos os sentidos. O país está brigando por isso. Sei que desagradou muito aos clubes. A CBF entende que agiu de forma correta, claro. (...) Estranhei muito a forma como isso foi feito”, comentou.

A partir de agora, as federações terão 81 votos em eleições na CBF. Enquanto isso, os clubes terão apenas 60 votos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BARRA DO ROCHA: HOMEM É ASSASSINADO À GOLPES DE FACÃO EM FAZENDA

'Um dos maiores da história', diz Petkovic sobre Júlio César

Vinícius faz golaço em empate do Real B, mas é expulso por simulação